Barreiras Bahia





Barreiras é um município brasileiro do estado da Bahia, emancipado em 26 de maio de 1891.

História
As terras do atual município de Barreiras faziam parte da imensa sesmaria de Antônio Guedes de Brito - o conde fundador do Morgado da Casa da Ponte. As que se prestavam à lavoura e criação foram vendidas no século XVII por descendentes seus a José Alves Martins, Domingos Afonso Serra e outros, ficando devolutas as chapadas das serras. O segundo deles, Domingos Afonso Serra, fez a Fazenda Tapera, onde criou gado. Após sua morte, a fazenda foi inventariada e vendida a diversos, quando se presume terem surgido as primeiras moradias.

Em 1850, habitava uma casinha junto ao porto, em terreno da Fazenda Malhada, de propriedade do coronel José Joaquim de Almeida, o barqueiro Plácido Barbosa, tido como o pioneiro do município, que juntamente com seu patrão, Francisco José das Chagas, morador a meia légua dali, se ocupava de receber e descarregar as barcas chegadas, cujas mercadorias fazia seguir em tropas de animais para locolidades vizinhas do estado de Goiás ou para fadas da Ribeira. Em 1880 era um povoado com 20 casebres de taipa ou adobe. A grande abundância, nas matas locais, da mangabeira, de cuja seiva se fazia a borracha, foi fator definitivo de crescimento e de uma nova atividade econômica, pela qual o acanhado povoado pôde progredir mais rapidamente e obter, logo no ano seguinte, 1881, a criação de sua freguesia. Mais 10 anos de franca prosperidade passou a ser distrito de paz do município de Angical, em virtude de Lei municipal de 20 de fevereiro de 1891. Em seguida ganhou a categoria de vila, a que foi elevado pela Lei estadual nº 237, de 6 de abril de 1891, que também criou o município respectivo, com território desmembrado do de Angical. A vila e o Conselho Municipal começaram a funcionar em 26 de maio de 1891, enquanto o "Fórum", em agosto do mesmo ano.

A sede municipal adquiriu foros de cidade pela Lei estadual nº 449, de 19 de maio de 1902, investindo-se nessa categoria em 15 de novembro desse mesmo ano, quando já possuía mais de 630 casas e 2.500 habitantes.

Em 15 de março de 1943 começou a operar uma agência do Banco do Brasil, o primeiro banco da cidade.

A História e a Cultura
A presença do homem em Barreiras remonta à pré-história. Sítios arqueológicos, com material significante para o estudo da presença do homem, na região. Foram encontrados. Urnas funerárias, com esqueletos, armas e objetos de pedra lascada e polida hoje fazem parte do acervo em exposição no Museu Municipal criado pelo prefeito Antônio Henrique. As pinturas rupestres deixadas nas paredes das grutas são outros vestígios legados por esses habitantes. São achados importantes, que deram início à pesquisa arqueológica na região.

Em 1908, um jornal semanal "Correio de Barreiras" era publicado e editado pela Tipografia Lima. No ano de 1918, Geraldo Rocha, inaugura o Cine Teatro Ideal, onde programas de auditórios e espetáculos musicais fizeram o maior sucesso, sob o comando do talentoso Mário Cardoso.

No início do século XX o progresso chega a Barreiras e deixa marcas dessa época, nos imponentes casarões de arquitetura neoclássica. Verdadeiro monumento arquitetônico, que em parte sobrevive até hoje.

Na educação o Colégio Padre Vieira, grande obra do Padre Luís Vieira e do Professor José Seabra de Lemos, que comemorou em 1998 o cinquentenário da sua fundação, é um patrimônio da educação barreirense.

Filhos ilustres
Dentre os filhos de Barreiras, destaca-se a figura do ex-governador do estado, Antônio Balbino e do professor Hideraldo Dwight Leitão.

Características
Sua população estimada em 2005 era de 134.333 habitantes.

É o município mais populoso do oeste da Bahia, destaca-se na produção de grãos.

Contando com três rios e duas cachoeiras - Cachoeira do Acaba-Vida ("pela sua altura") e Cachoeira do Redondo - em seu município, conta com pouco investimento público e privado na qualidade de vida de sua população, com renda concentrada e pouca escolaridade na base da população.

Distâncias Ibotirama : 217 km Formosa : 572 km Cristópolis: 71 Km Brasília : 622 km Luís Eduardo Magalhães : 95 km

Como Chegar
Chega-se a Barreiras em vôos diários saindo de Salvador ou Brasília. Os principais acessos rodoviários são: BR 020 ( Brasília/ Barreiras), BR 242 (Salvador/Barreiras) e BRr 135 (Piauí/Barreiras). Ônibus com partidas diárias em diversos horários. A empresa aérea Abaeté opera vôos de segunda a sexta partindo de Salvador e de Brasília. A partir de 5 de março de 2007, a Passaredo passou a operar também, com vôos de segunda a sexta, na rota Ribeirão Preto/Brasília/BARREIRAS/Salvador.

Clima
Tipo climático: seco, subúmido e seco. Temperatura anual: média 24.3º, máxima 31.5º, mínima 20.3º. Pluviosidade anual: média 1018mm, máxima 1684; mínima 295mm. Período chuvoso: novembro a janeiro Risco de seca: médio e baixo A luminosidade natural é abundante durante todo o ano. Os ventos variam de fraco a moderado na maior parte do ano.

Relevo
Chapadão central, patamares do chapadão com altitude média de 435m acima do nível do mar.

Solo
Os solos apresentam textura média e arenosa, sendo o latrossolo vermelho amarelo-célico o predominante.

Vegetação
A vegetação predominante é o cerrado arbórico aberto sem florestas de galeria. As florestas de galeria em menor escala se localizam no Vale do Rio Grande.

Limites
O município de Barreiras limita-se: A oeste, com o estado do Tocantins e o município de Luís Eduardo Magalhães A leste com os municípios de Angical e Catolândia Ao norte com o município de Riachão das Neves Ao sul com o município de São Desidério.

Hidrografia
O município é rico em recursos hídricos. O Rio de Ondas, o Rio de Janeiro e o Rio Branco são os principais, e formam a bacia do Rio Grande que banha a cidade, e é a maior bacia do lado esquerdo do Rio São Francisco. Barreiras possui um santuário ecológico com um enorme potencial para desenvolver o ecoturismo.