ZITO BARBOSA DÁ UMA ENTREVISTA DE UMA PÁGINA AO JORNAL A TARDE


O prefeito de São Desidério Zito Barbosa apostou na austeridade e nos investimentos dos recursos públicos em obras que beneficiam a população. Seu desempenho chamou a atenção da imprensa estadual e ele concedeu uma entrevista ao jornal a Tarde, um dos mais importantes do Nordeste. A entrevista ocupou quase uma página mostrando a importância do prefeito de São Desidério para a região oeste. O trabalho feito por Zito Barbosa vem alcançando reconhecimento em todo oeste baiano tanto é que ele é considerado um dos mais fortes pré-candidatos a prefeito de Barreiras. Zito Barbosa transfere o domicílio eleitoral para Barreiras até setembro e em março renuncia a prefeitura de São Desidério para se dedicar ao trabalho político em Barreiras. O mural do Oeste reproduz, na integra a entrevista concedida por Zito Barbosa ao jornal a Tarde.

Investir nas áreas de educação e saúde é prioridade na gestão do prefeito de São Desidério, João Barbosa de Souza Sobrinho, também conhecido com Zito, 50 anos, mas a sua principal meta é aumentar a receita da Prefeitura de São Desidério. Natural de Barreiras, no oeste do estado, Zito (PMDB) possui formação acadêmica em Engenharia Civil pela Universidade Católica da Bahia (Ucsal). Elegeu-se três vezes ao cargo de prefeito de São Desidério. Assumiu o primeiro mandato de 1997 a 2000. Com a reeleição, governou até 2044. Entre 2006 e 2008 continuou na área política respondendo pela secretaria de Infraestrutura. No ano seguinte, foi empossado prefeito do município pela terceira vez. Em entrevista concedida à repórter Rose Santana, Zito fala sobre saúde, educação, turismo, infraestrutura e sobre os próximos projetos a serem desenvolvidos em São Desidério ainda este ano.

A Tarde – O senhor busca definir quais metas como prioridade?

Zito – Nós priorizamos a arrecadação. É impossível realizar obras, levar a melhoria e a benfeitoria para o povo se não tiver recurso. Esta é a principal meta, aumentar, ou no mínimo, manter a receita da prefeitura de São Desidério. A demonstração disso é que ao assumirmos em 2009, na terceira gestão, o Imposto sobre a Arrecadação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) tinha o índice de 1,08 após uma queda brusca em 2008/2009. Hoje conseguimos elevar esse índice de 1,08 para 1,43, em parceria com uma empresa de consultoria. Um aumento significativo e que nos dá a condição de realizar todas as obras. Outra prioridade é a austeridade. Eu sou apenas um gerente destes recursos, ouvindo a população priorizar aquilo que irá atender as demandas.

AT – Qual a avaliação que o senhor faz do desenvolvimento que o município vem apresentando nos últimos anos?

Zito – São Desidério, nos últimos, tem avançado bastante, principalmente no diz respeito à justiça social e à melhoria de qualidade de vida. Um município que é muito rico, que mais produz algodão, soja e milho, mais que ainda tem uma população muito carente. Nós precisamos avançar muito neste sentido. Nós estamos sentindo essas necessidades e estamos tentando suprir as carências, levando para todas as comunidades, ações e programas nas áreas da saúde, educação, infraestrutura, agricultura familiares do meio ambiente. Todas as secretarias juntas e integradas têm lutado pelo desenvolvimento do nosso município.

AT – Qual a principal parceria da prefeitura com o governo federal?

Zito – A prefeitura, com o governo federal, possui pequenas parcerias por meio da adesão em programas na área da educação, saúde e assistência social. A secretaria de Saúde recebe recursos repassados de fundo a fundo, a exemplos destinados à saúde bucal, à atenção básica – Piso de Atenção Básica (PAB) – e a vigilância sanitária. No mais, o que tem sido feito no setor da saúde, é com recursos próprios do município. Na secretaria de Educação, o dinheiro disponibilizado pelo governo federal tem nos ajudado principalmente com relação à merenda escolar e na compra de materiais, mas a maioria dos investimentos é proveniente de recursos próprios. Na Assistência Social o que recebemos também é muito pouco.

AT – São Desidério é o maior produtor de algodão do Brasil. A cultura do algodão alavanca a geração de empregos e a agricultura movimenta a economia local. Quais as metas que o governo municipal estabelece para impulsionar ainda mais este setor?

Zito – É um setor que realmente precisa de um apoio muito grande. Os produtores têm feito a parte deles, o know how que possui a agricultura do nosso município é muito grande, avançado, superando a maioria dos países desenvolvidos do mundo. Mas nós temos feito nossa parte, princialmente com a infraestrutura. Mantemos o Programa Permanente de Manutenção de Estradas Vicinais que, de forma ininterrupta, recupera pelo menos mil quilômetros de estradas todos os anos. Somos o segundo município em extensão territorial da Bahia, são mais de TRE mil quilômetros de estradas vicinais que cortam o município. A constante manutenção constitui-se um trabalho importantíssimo. Mas há ainda uma questão de investimentos em eletrificação rural. É preciso que o governo do Estado, por meio da Coelba, melhore a qualidade dos serviços e atenda melhor os produtores. Eles precisam e dependem muito da energia elétrica.

AT – Como o governo municipal vem atuando nas áreas de saúde e educação?

Zito – Saúde e educação sempre foram nossa prioridade desde a primeira gestão. Educação principalmente, porque ao assumirmos a prefeitura, em 1997, o índice de analfabetismo era o maior do Estado da Bahia, chegando a 64% de analfabetos. Nós trabalhamos e priorizamos a educação e hoje temos a alegria e satisfação de dizer que em São Desidério os índices de analfabetismo figuram abaixo da média nacional. Conseguimos isso com muito investimento, trabalhando, construindo escolas, levando educação para comunidades distantes, transporte escolar que atende lugares onde não é possível construir escolas, merenda de qualidade e professores valorizados e bem remunerados, com um dos maiores pisos salariais do Brasil. A prova disso foi o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) que nas séries finais superou os índices da Bahia e do Brasil. Na saúde, percebemos que apesar de termos na sede postos de saúde e um bom hospital, com profissionais em várias áreas e bem equipado, a carência ainda era grande. Criamos a Casa da Gestante e demos início este ano à inauguração de oito unidades de saúde na zona rural e uma na sede.

AT – Como andam as políticas voltadas para infraestrutura em São Desidério?

Zito – Em todo o Brasil o governo federal tem investido nessa área, mas, infelizmente mais uma vez, São Desidério tem ficado de fora. O governo federal, nos últimos anos, não colocou um único rela no setor de habitação em São Desidério. Nós, com recursos próprios, temos o Programa Viver com Cidadania, para a construção de casas populares para a população carente do município. Apesar de os recursos do município não serem suficientes para atender toda a população, estamos investindo, temos feito a nossa parte, já entregamos 997 casas e outras estão em fase de conclusão. Com relação à infraestrutura, mais uma vez nos deparamos com a questão da imensa extensão territorial, o que demanda o que demanda grandes investimentos no que diz respeito às estradas e à eletrificação rural.

AT – São Desidério possui fortes atrativos turísticos. De que forma a prefeitura atua para impulsionar este potencial?

Zito – A atuação principal, por meio da secretaria de Meio Ambiente e Turismo, é na preservação do potencial Turístico. A secretaria tem tido este cuidado, trabalhando no sentido de preservar e também fazer estudos de impacto ambiental para evitar a exploração desordenada e garantir a sustentabilidade dos recursos naturais. Recentemente assinamos um convênio com a UFBA para elaboração do inventário turístico.