Instituições de ensino superior da BA são punidas por desempenho ruim

Estácio FIB, Escola de Engenharia e Agrimensura e Famec são as três da lista.
Instituições não podem aumentar o número de vagas, nem criar novos cursos.




O Ministério da Educação anunciou nesta terça-feira (22), medidas cautelares contra 70 instituições de ensino superior que tiveram desempenho ruim nos sistemas de avaliação do MEC. Na Bahia, o Centro Universitário Estácio FIB e a Escola de Engenharia de Agrimensura da Bahia, em Salvador, e a Faculdade Metropolitana de Camaçari, na região metropolitana estão na lista das instituições.

A pontuação vai e 1 a 5. A média considerada regular é 3. As instituições que obtiveram notas abaixo de 3 têm o ensino considerado ruim, segundo instituição. Na Bahia, todas as 46 unidades de ensino superior reprovadas tiveram nota 2. Em todo o estado, nenhuma instituição alcançou a pontuação 5.

O MEC determina que a instituição não aumente o número de vagas em nenhum dos cursos ofertados e suspende a autonomia da mesma em relação a criação de novos cursos e indica que não seja “instaurado nenhum processo específico de supervisão”. Através da assessoria de imprensa, a FIB informou que não vai comentar o caso.
saiba mais

* MEC pune 70 instituições de ensino superior por desempenho ruim

Em entrevista ao G1, o diretor da Escola de Engenharia de Agrimensura da Bahia (EEA BA), Dirval Carvalho, comentou o fato da instituição ter sido inserida na lista do MEC no despacho 238, que também indica as mesmas medidas cautelares indicadas a FIB. Segundo o documento do Ministério da Educação, a escola obteve resultados cumulativamente insatisfatórios nos anos de 2008, 2009 e 2010.

“Esse índice ninguém compreende. A escola [EEA BA] só foi analisada em 2008. Realmente, o nosso desempenho não foi muito bom. Em 2009 e 2010 não participamos. Não houve Enade para os alunos de engenharia porque a prova estava sendo aplicada com questões de engenharia civil. A previsão é que os alunos de engenharia voltem a participar do Enade em 2013. O MEC informou que nesse período os cursos de engenharia ficariam sem conceito. Já estamos fazendo um termo solicitando esclarecimentos ao MEC e vamos cumprir as determinações do órgão fazendo os ajustes necessários”, disse.

Segundo Carvalho, a Escola de Engenharia de Agrimensura da Bahia tem apenas o curso de agrimensura e mais de 50 anos de tradição. Cerca de 648 alunos estudam no local no período da noite e são instruídos por aproximadamente 25 professores.

A Faculdade Metropolitana de Camaçari (Famec) foi incluída no mesmo despacho da Escola de Engenharia e também deve cumprir as medidas impostas pelo MEC. O G1 entrou em contato com a instituição, mas foi informado que os responsáveis que podem comentar o assunto só estão no local em horário comercial.

No dia 17 de novembro, o Mec divulgou que 46 instituições privadas da Bahia foram reprovadas na avaliação do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), realizado em 2010.
A análise levou em consideração pontos como condições de ensino, instalações físicas, projeto pedagógico e ao resultado dos alunos no Enade. Os reprovados no Índice Geral de Cursos (IGC) e Conceito Preliminar de Curso (CPC), que avaliam a instituição e os cursos, respectivamente, podem ter a atividade suspensa.