O SENADO FEDERAL E AS “MÁSCARAS”: “LEMBRAI, LEMBRAI, O 7 DE SETEMBRO”

Ricardo Menna Barreto Em matéria publicada no site do Senado Federal [disponível na página online: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2013/09/06/uso-de-mascaras-em-manifestacoes-domina-debate-no-senado], chamou-me a atenção a preocupação de diversos senadores – Cristovam Buarque (PDT-DF), Pedro Simon (PMDB-RS), Ana Amélia (PP-RS), Acir Gurgacz (PDT-PR) – com o uso das máscaras nas manifestações previstas para o dia 07 de setembro de 2013. O pedido: que os jovens, no dia 7 de setembro, nas manifestações, fiquem distantes das pessoas mascaradas, pois supostamente serão estas que distorcerão o movimento e que praticarão “atos de vandalismo” e “atos criminosos”, como aludiu Simon. Com efeito, o uso de máscaras, como referido pelos senadores, remete-nos aos protestos contrao aumento da passagem de ônibus em São Paulo, que eclodiu nos “sete dias que mudaram o Brasil”, como afirmou a Revista Veja, em sua “Edição Histórica”, de 26 de junho de 2013. Ao folhear a referida revista, encontramos diversas fotos de jovens mascarados em meio à tensão que se instaurou, principalmente na Esplanada; fotos de uma multidão próxima ao Palácio do Planalto, onde a “Presidenta” Dilma Rousseff assistia perplexa a maior manifestação popular ocorrida desde as “Diretas Já”. Chama a atenção que, em meio àqueles jovens manifestantes brasileiros, figurava a máscara popularizada no filme V de Vingança (V for Vendetta. Warner Bros: Reino Unido, Estados Unidos e Alemanha, 2005), oriundo da história homônima em quadrinhos (de Moore & Lloyd). Trata-se de uma máscara inspirada em Guy Fawkes (1570-1606), soldado inglês, especialista em explosivos, que participou da “Conspiração da Pólvora” (Gunpowder Plot), uma tentativa frustrada de explodir o Parlamento Inglês em 05 de novembro de 1605, que levou Fawkesà morte. O fato é que, ultimamente, a máscara de Fawkes passou a ser um símbolo também para os jovens brasileiros – lembrando-se que, até hoje, a figura de Fawkes é invocada anualmente em 05 de novembro, data em que se celebra na Inglaterra a “Noite das Fogueiras”. Daí vem aparte do tradicional verso (bastante repetido nos quadrinhos e na referida película cinematográfica): “Remember, remember, the 5th of November” (Lembrai, lembrai, o 5 de novembro), em alusão à “Conspiração da Pólvora”. Mas por que a máscara? Aniela Jaffé, discípula de Carl G. Jung, nos explica que desde tempos imemoriais, os homens primitivos empregavam toda a sua habilidade artística na fabricação de máscaras. Para Jaffé (em: Jung, C. G. O Homem e seus Símbolos, 2008, p. 317), a função simbólica da máscara é, principalmente, a do disfarce. A partir daí, “a expressão do indivíduo humano desaparece, mas em seu lugar o portador da máscara adquire a dignidade e a beleza (...). Em termos psicológicos, a máscara transforma o seu portador em uma imagem arquetípica”. Mais que o disfarce, Fawkesressurge como um símbolo. Não pretendo investigar o símbolo da máscara em termos psicológicos (aliás, confesso, nem me sinto apto para tanto: deixaria a tarefa para um psicólogo). Não obstante,popularmente sabemos que a máscara tem por objetivo justamente “ocultar”, “mascarar” (máscara, no Dicionário Houaiss, significa “peça sobre o rosto como disfarce ou proteção”). Nesse sentido, penso: muitos desses “mascarados” que estão nas ruas (nossos “Fawkes”) não são, necessariamente,os ditos saqueadores ou“vândalos”. Quem sabe não utilizam estas “máscaras físicas” por não terem a fantástica capacidade de disfarce que os responsáveis por esse funesto cenário político-social possuem. Certamente determinados indivíduos, que ocupam papel de destaque no cenário político brasileiro, conseguem uma proeza que nenhum desses “jovens mascarados” consegue: utilizar uma “máscara natural”, incorporada de tal modo ao seu corpo que não sabemos onde começa o “papel” desempenhado pela máscara e onde termina o indivíduo. Tenho sérias desconfianças: acredito que mais que tumultuar, alguns jovens querem, com as ditas máscaras, esconder-se... Pois é deveras vergonhoso sair às ruas, manifestando-se, sabendo que a mudança será tão difícil quanto impossível. Logo, estes jovens querem mesmo se disfarçar – pois estarão divulgados por meio de fotos e vídeos na mídia eletrônica, quase que instantaneamente – enquanto os verdadeiros responsáveis por esse caos social estarão a olhar as tais fotos e vídeos rindo, no conforto da impunidade... Por óbvio concordo com a preocupação do Senado Federal quanto às manifestações do dia 07 de setembro, pois precisamos, antes de tudo, manter a paz social. Porém, creio que antes de pedirmos para nossos jovens não utilizarem máscaras, deveríamos exigir quenossos políticos não colocassem as suas. Enfim, para o bem ou para o mal, quem sabe daqui a algum tempo não parodiaremos – com ou sem razão – os ingleses, cantarolando: “Remember, rememberthe 7th of September”.