Assistente financeiro suspeito de aliciar adolescentes por redes sociais é preso; duas garotas foram estupradas

Um assistente financeiro de 35 anos, suspeito de aliciar adolescentes em redes sociais para cometer abusos sexuais, foi preso nesta sexta-feira (27), em Salvador.
Segundo a delegada Ana Crícia de Araújo, titular da Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca), o homem, identificado como Sandro Boa Morte Moreira, teve prisão temporária cumprida na casa dele, no bairro de Pernambués. 

"Ele conquistava a confiança das vítimas, depois ele marcava encontro com elas, já utilizando de ameaça, de chantagens. Nesse encontro, ele levava as vítimas de moto à residência dele em Pernambués, onde ele as estuprava. Ele se passava por uma outra pessoa que não era ele. Em um dos casos, ele se passou por um adolescente, e em outro caso, por uma moça", detalha a delegada. 

De acordo com Ana Crícia, a polícia chegou até o suspeito após duas denúncias de adolescentes que foram estupradas pelo homem. As garotas, uma de 13 e outra de 15 anos, teriam sido aliciadas na internet e posteriormente ameaçadas pelo suspeito para que encontrassem com ele. Os abusos ocorreram em datas diferentes e as vítimas não se conheciam.
"Ele vai responder por dois crimes de estupro, como também por ter conteúdo pornográfico envolvendo adolescente. E pela produção dessas imagens porque ele também tirou fotografias das vítimas durante o estupro". 

Conforme informou a delegada, nos dois casos, o suspeito usou perfis falsos de redes sociais. Um dos casos ocorreu em 2016 e o outro neste ano.
O endereço do assistente financeiro ajudou a identificá-lo e as duas meninas o reconheceram. O homem foi apresentado à imprensa nesta sexta-feira, durante uma coletiva na Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca), no bairro de Brotas. 

De acordo com a delegada, ele será encaminhado para o Conjunto Penal de Mata Escura, onde ficará à disposição da Justiça. O caso está sob investigação e a delegada acredita que novas vítimas possam aparecer após a divulgação da prisão do suspeito.
Por G1 BA